top of page
Buscar

Rio Grande do Sul sofre com desastre natural

Rio Grande do Sul sofre maior desastre natural de sua história recente, com níveis dos rios ultrapassando o recorde de 1941.

Enchentes no Rio Grande do Sul, Inundação em Porto Alegre, Enchente no RS, Nível do lago Guaíba ultrapassa a marca histórica, Nível do lago Guaíba chega a 5,30m
Crédito: BBC e Getty Images. Foto: Imagem área do centro da Capital do RS, Porto Alegre, tomada pela água do lago Guaíba

O Estado do Rio Grande do Sul vive seu pior desastre climático da história recente. Um total 341 munícipios do Estado foram atingidos de um total de 497 munícipios existentes no Estado, cuja grande maioria sofreu com chuvas ininterruptas nos últimos 8 dias e, acima da média histórica, em algumas localidades chegando atingir mais da metade das chuvas previstas para o ano todo.


Precipitação:


Para se ter uma ideia do volume de chuvas registrados no Estado, algumas cidades do Rio Grande do Sul registraram mais da metade do acumulado de chuvas que costumam ocorrer em ano inteiro, por exemplo: a média anual costuma girar em torno de mil a 1,3 mil milímetros, mas Fontoura Xavier, localizada na Serra do RS, somou um total de 684 milímetros. Já os munícipios de Caxias do Sul, Faxinal do Soturno, Nova Palma, Bento Gonçalves e Soledade também registram totais acima de 500 milímetros. Santa Maria, bateu um recorde mundial de precipitação de chuvas em um dia, chegando a 214 mm nesta última quarta-feira, cujo esperado para mês de maio era entre 130mm a 180mm.


Estragos causados:


Segundo meteorologistas, os estragos que provocaram o fenômeno climático foi um choque de massas de ar quente vindo do norte com a entrada de uma frente fria vinda do sul, causando um contraste térmico, que devido ao forte calor, ocasionando chuvas intensas. “Essa situação do Rio Grande do Sul é o sistema de baixa pressão que vem do Oceano Pacífico. Ele gera um sistema de alta pressão no centro oeste e sudeste e o sistema de alta pressão bloqueia o sistema de baixa pressão. As frentes frias chegam ali, não conseguem passar e chove demais, alimentados por um fluxo muito grande de vapor d’água que está vindo da Amazônia e passa paralelo aos Andes”, detalha Nobre, pesquisador do Instituto de Estudos Climáticos da USP e copresidente do Painel Científico para a Amazônia.


Os prejuízos, neste momento, são incalculáveis, impossíveis de serem medidos, que deixarão sequelas por muito tempo no Estado: foram afetadas estruturas empresariais, comércio, indústrias, complexos agrícolas, lavouras de grãos e hortifrútis, máquinas e equipamentos, veículos de produção, como caminhões, tratores e colheitadeiras, sem contar uma infinidade de veículos de passeio, residências, afetando quase um milhão de pessoas.


Recuperação:


O Estado do Rio Grande do Sul decretou Estado de Emergência, sendo reconhecido de imediato pelo Governo Federal e passará por momentos de muita reconstrução a partir de agora e, após calcular os prejuízos. Somente para se ter uma ideia do tamanho dos estragos, o lago Guaíba que atingiu a marca de 5.30m acima de seu leito, cuja marca de inundação era de 3m, levará cerca de 30 dias para voltar ao nível natural, isto se o tempo contribuir e as chuvas ao longo dos dias.


Uma vez passado este momento, o Governo terá que calcular o tamanho dos prejuízos deixados pelas enchentes e, certamente, deverá se tomar medidas para evitar que no futuro venha ocorrer novamente uma tragédia destas proporções, em especial, devido as constantes variações climáticas que o mundo vem enfrentando, o investimento em tecnologias de previsão, que são iminentes.


Ajuda:


Os gaúchos estão necessitando de sua ajuda para recuperar-se desta catástrofe climática, cujas famílias perderam tudo o que possuíam e ficaram apenas com a roupa de seu corpo, primeiro pela urgência em sobreviver deixaram tudo para trás e, segundo, porque ao voltar para suas casas pouco terão o que recuperar, sendo o principal agora abrigar-se, porque haverão mais chuvas no decorrer dos próximos dias e está se prevendo a chegada do frio (até porque o bloqueio atmosférico foi vencido pela primeira e mais forte onda frio).


A Rio Grande Agrícola se sensibiliza com a situação de todos os afetados pelas enchentes e quer ajudar de alguma forma, podendo contribuir com a ajuda de seus seguidores, amigos, empresários que se relacionam conosco e sabem o quando preservamos pela honestidade, ética e transparência nos negócios e queiram solidarizar-se com nosso povo a fim de contribuir com ajuda emergencial para a compra de materiais urgentes que milhares de pessoas estão necessitando nesta hora.


O plano de ajuda será a compra de itens de urgência: materiais de higiene, limpeza, água e agasalhos (colchões, mantas, roupas para o frio que está por vir).


Desde já, ficaremos gratos por toda e qualquer ajuda que vier e, certos que lhes prestaremos conta de cada centavo que entrar na sequencia dos dias que virão.



Conta especial para doações a vítimas do RS




Conta especial para depósitos em moeda estrangeira


IBAN: BR2390400888012700130051480C1

Beneficiario: RIO GRANDE AGRICOLA S.A


Instruções: Identifique-se com e-mail, contato e nome para podermos enviar documentos legais.


Também, abaixo, temos links uteis para que possam decidir pelo melhor caminho de sua contribuição:


Defesa Civil RS:




Mensageiro da Caridade:




Doações do Exterior - GZH:




Site do terra:




Jornal o Globo:




Agência Brasil:




Folha de São Paulo:


68 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page